Casos de Sucesso Vencedores: Gestão e Parcerias

PRIMEIRO LUGAR

Sustentabilidade Digital: Restauração de Eletrônicos de Universidade Pública – Ramo UFABC

Como instituição pública no Brasil, a Universidade compra seus equipamentos através do dinheiro fornecido anualmente pelo governo. Os processos de aquisição devem seguir um processo de licitação, aberto a equipamentos completos, não apenas partes deles.

Com o tempo, componentes eletrônicos queimam ou param de funcionar, especialmente em computadores e  monitores, o que causa uma interrupção em muitas máquinas, passam a não ser utilizadas e ficam em um "despejo" eletrônico da universidade.

Identificando este problema, o conselheiro do Ramo Estudantil e do Capítulo Estudantil da Computer Society propôs a criação de um grupo para realizar o reparo dos computadores, e especialmente, ensinar os membros e manter o projeto ativo constantemente. Através das aulas, os alunos aprendem as teorias e testam as peças dos eletrônicos para realizar a  manutenção.

48 computadores, 2 projetores, 1 impressora e 3 monitores já foram consertados, o que retornou à universidade aproximadamente R$ 215.000,00 em patrimônio para o uso de professores e alunos.


Membro do Ramo UFABC recebendo a premiação durante o evento.


SEGUNDO LUGAR

IEEE & Extensão Universitára de Impacto Social – Ramo UFPA

Desempenhar projetos de extensão que promovam impacto social na área de engenharia é uma tarefa difícil no Brasil. Nas universidades brasileiras parte do orçamento é destinado a projetos de extensão universitária. Porém, essa verba comumente é limitada ao pagamento de bolsas para alunos e nenhuma verba de projeto é concedida. Isso delimita fortemente os projetos extensionistas de engenharia que, por sua vez, tem grande potencial de alterar realidades [KLEBA 2017], mas acabam caindo na mesmice.

Buscando sair da mesmice, proporcionando uma engenharia “mão-na-massa” com impacto real nas comunidades rurais do estado, um grupo universitário desenvolveu um projeto de redes comunitárias baseado em soluções abertas de hardware e ​software para levar telefonia celular de baixo-custo as áreas afastadas dos centros urbanos. E, na busca por financiamento, o IEEE foi um dos financiadores através do programa “​EPICS in IEEE​” da Fundação IEEE. Para a obtenção deste financiamento, outras parcerias foram fechadas, o que só foi benéfico para o projeto. Desta forma, o IEEE pode ser parceiro financiador de projetos extensionistas de engenharia que promovam o desenvolvimento humano e social através da tecnologia


TERCEIRO LUGAR

Parceria com a Enactus – Projeto INCARE – Ramo CEFET/RJ

No Brasil, atualmente, residem mais de 40 mil refugiados, segundo a ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados). Além da problemática da saída de seu país e chegada em um local completamente desconhecido, a necessidade de obtenção de renda é mais um agravante da situação incômoda em que eles vivem. Com isso, a inserção no mercado de trabalho brasileiro, vivida pelos refugiados e  solicitantes de refúgio, torna-se ainda mais complexa pela falta de conhecimento técnico ou de documentos que comprovem sua formação em seu país de origem.

O projeto INCARE nasceu com uma simples e desafiadora premissa: mudar o panorama socioeconômico dos Refugiados, quebrando assim, padrões impostos que os colocam à margem da sociedade. Diante disso, em parceria do Ramo com a Enactus, a MasterTech e a Universidade, um programa de capacitações e cursos voltados para a área de T.I foi estruturado, com o intuito de introduzi-los no mercado de trabalho qualificado, gerando, assim, uma melhor formação técnica e condição socioeconômica para tais refugiados. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *